Newsletter
Notícias

VALOR 1000: Cooperativas do PR sobem posições no ranking das maiores empresas do país

22/08/2019

Praticamente todas cooperativas paranaenses listadas entre as mil maiores empresas do país pelo jornal Valor Econômico ascenderam na classificação do ranking deste ano, com destaque para a Primato, que subiu 80 posições, a Coagru 75 e a Coasul 54. Juntamente com elas, figuram no levantamento a Coamo, C.Vale, Lar, Cocamar, Copacol, Integrada, Agrária, Castrolanda, Frísia, Frimesa, Coopavel, Copagril e Capal, somando 16 cooperativas do Paraná entre as 49 cooperativas de todo o país presentes no anuário Valor 1000. (Veja o quadro abaixo)

Esta é a 19ª edição da pesquisa, feita em parceria com a Serasa Experian e Centro de Estudos em Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV-Eaesp). Anualmente mais de três mil empresas são convidadas a participar com o envio de suas demonstrações financeiras e o preenchimento de questionários. De acordo com os organizadores, o número de balanços analisados desta vez aumentou 23,5% em relação ao ano anterior (de 1.200 para 1.482). Para chegar às mil maiores, as empresas são classificadas a partir de oito indicadores contábeis e financeiros: receita líquida, margem Ebitda, giro do ativo, margem de atividade, rentabilidade, cobertura de juros, liquidez corrente e crescimento sustentável. Entre eles, o de maior peso é a receita líquida, seguido da margem Ebitda e da rentabilidade do patrimônio. Além disso, as empresas são agrupadas em 28 setores e também são indicadas as campeãs por região.

Na lista das 50 maiores empresas do Sul do país, há 14 cooperativas, entre as quais 11 são paranaenses: Coamo (3º), C.Vale (10º), Lar (14º), Cocamar (23º), Copacol (30º), Integrada (33º), Agrária (34º), Castrolanda (36º), Frísia (43º), Frimesa (44º) e Coopavel (45º).

Por setor - No setor agropecuário, a Coamo está no topo da lista, em 1º lugar, e a C.Vale ocupa a 9ª posição na classificação final, que contabiliza a pontuação obtida nos oito critérios do ranking, em âmbito nacional. Em receita líquida, a Coamo também está em primeiro lugar; C.Vale em 2º; Lar em 3º; Cocamar em 4º e Integrada em 10º. Na margem Ebitda, a Coamo situa-se na 8ª posição e a Coopavel na 10ª. No critério rentabilidade, a Coasul aparece em 7º e Coamo em 9º. Já em margem de atividade, a Coamo está em 6º lugar. No item liquidez corrente, a Coamo está posicionada em 3º. Em cobertura de juros, a Capal está em 8º. No item crescimento sustentável, a Coasul figura em 2º, a Frísia em 4º, a Capal em 6º e a Castrolanda em 8º.

Ramo Saúde - Entre os 50 maiores planos de saúde, as paranaenses Unimed Curitiba, Unimed Londrina e Unimed Regional Maringá estão, respectivamente, em 9º, 36º e 37º lugares. Nos destaques, a Unimed Curitiba está listada em 17º entre as maiores em lucro líquido; em 8º entre as 20 maiores empresas em ativo total e em 10º lugar entre as maiores em patrimônio líquido. E, entre as 20 maiores em aplicações financeiras, a Unimed Curitiba ocupa a 7ª posição e o 12º lugar entre as 20 que mais cresceram em contraprestações efetivas.

Ramo crédito - O cooperativismo está presente também no ranking do Valor 1000 referente ao setor financeiro. O Sicoob ocupa a 8ª colocação e o Sicredi a 10ª entre os 100 maiores bancos brasileiros. O Bancoob figura em 7º entre os 20 maiores em operações de crédito; em 6º entre os 20 maiores em depósitos totais; em 7º entre os 20 maiores em receita de intermediação; em 6º entre os 20 com melhor resultado operacional, sem a equivalência patrimonial; em 6º entre os 20 maiores em patrimônio líquido; em 6º entre os 20 maiores em lucro líquido; em 14º entre os 20 com melhor rentabilidade operacional, sem a equivalência patrimonial, entre os grandes. Entre os 20 mais rentáveis sobre o patrimônio, entre os grandes, está em 9º; em 18º entre os 20 com menor custo operacional, entre os grandes; em 9º entre os bancos que mais cresceram em operações de crédito, entre os grandes e entre os bancos que mais cresceram em depósitos totais, entre os grandes.

Sicredi - O Sicredi está em 8º lugar entre os 20 maiores em operações de crédito; em 7º entre os 20 maiores em depósitos totais; em 8º entre os 20 maiores em patrimônio líquido e em 7º entre os 20 maiores em lucro líquido; 9º entre os 20 maiores em receita de intermediação; em 7º entre os 20 com melhor resultado operacional sem a equivalência patrimonial e em 10º com melhor rentabilidade operacional, sem equivalência patrimonial, entre os grandes. Ficou ainda em 4º entre os 20 mais rentáveis sobre o patrimônio, entre os grandes; em 12º entre os 20 com menor custo operacional, entre os grandes; em 5º entre os bancos que mais cresceram em operações de crédito, entre os grandes e em 7º entre os bancos que mais cresceram em depósitos totais, entre os grandes.

valor tabela I 22 08 2019

 

valor tabela II 22 08 2019

 

Ocepar